11 de janeiro de 2017

Resenha do Filme: O Substituto

O Substituto
Detachment
(2011)

Gênero
Drama

Duração
1h 38m 

Direção: Tony Kaye
Roteiro: Carl Lund

Elenco
Adrien Brody, Sami Gayle,
Betty Kaye, Christina Hendricks, Louis Zorich,
Marcia Gay Harden, James Caan, Lucy Liu


Sinopse: Um professor substituto tenta abrir a mente de seus alunos para uma consciência maior de si mesmos e do mundo à sua volta, no contexto precário de uma escola de periferia, com adolescentes em situação de risco. Paralelamente, ele cuida do avô em uma instituição para idosos e estabelece uma ligação com uma prostituta adolescente.

Henry Barthes (interpretado por Adrien Brody) é um professor de literatura do ensino médio, que pula de escola em escola, trabalhando como substituto. Ele permanece em cada uma por algum tempo, enquanto um professor titular é contratado.

Atualmente, está trabalhando na escola para onde os alunos de convívio mais difícil e de mais baixo desempenho da cidade são enviados. O governo está pressionando a diretora a mudar os métodos de ensino, para que mais alunos possam ser matriculados e os que já estão possam tirar notas mais altas. Porém, o verdadeiro objetivo do governo é bem diferente do que parece.


Henry é aconselhado a se limitar ao currículo e fazer os estudantes estarem sempre em dia com a matéria. Mas ele acaba indo além. Estimula os alunos a questionarem o mundo à sua volta e a pensarem por si mesmos.

Marcado por um trauma do passado, do qual não consegue se libertar, ele cuida do avô, que está em uma casa para idosos. Sofrendo com uma demência, ele muitas vezes sai da realidade, e Henry tenta, às vezes com sucesso, às vezes não, fazê-lo voltar a si e permanecer engajado na vida.

Ao voltar para casa, após uma de suas visitas, ele conhece, nas ruas noturnas e desertas da cidade, uma prostituta adolescente. Ela o aborda, causando-lhe um efeito que não admite a princípio, mas que o levará a uma transformação significativa.


Este filme não é dos mais leves. Ele versa sobre assuntos muito delicados, de maneira bastante crua. Mas, ao mesmo tempo, ele permite, para olhos mais atentos, encontrar muitas reflexões enriquecedoras, que podem nos fazer enxergar possibilidades e perspectivas para uma vida mais humana.

Para assistir quando estiver bem emocionalmente, preparado para enfrentar e querendo pensar sobre questões complicadas e difíceis da vida. 

*
 Escrevi uma análise deste filme, com spoilers, na revista virtual Obvious. Para ler, clique aqui. 

....................
Meu livro de contos pode ser adquirido na Livraria Cultura:

A Sereia

Meu blog pessoal:

A Rocha, A Água
arochaaagua.blogspot.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Dê sua opinião sobre o assunto discutido acima :D

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Copyright © 2015 | Design e Código: Natana Duarte - Colecionando Livros | Uso pessoal