24 de outubro de 2016

Resenha do Livro: Memorandom

  Olá de novo leitores, tudo bem?

  Eu sei que acabei de postar resenha pra vocês, mas, adivinhem??? Tem mais uma pra vocês desfrutarem hahaha Também é de um livro solicitado do divo do Grupo Editorial Record, chamado Memorandom, do autor Anders de La Motte. É sobre investigação e tem muitooo mistério envolvido. Vamos lá?


Sinopse: Um policial que investiga o próprio passado. Um criminoso que busca a verdade sobre a morte do irmão. E um ministro da justiça que tem tudo a perder. David Sarac é um policial da Divisão de Inteligência da polícia de Estocolmo. Ele identifica, recruta e gerencia informantes, uma função crucial para o combate ao crime e na qual ele se destaca. Muito disso se deve ao seu informante de alto nível, Jano, inserido de forma estratégica nas organizações criminosas. No entanto, durante uma perseguição de carro, David tem um derrame e sofre uma colisão violenta dentro de um túnel. Ao acordar no hospital algumas semanas depois, ele não se lembra de nada dos últimos dois anos de sua vida, nem mesmo da identidade de seu mais proeminente informante. Muitas mortes ocorrem, todas elas relacionadas a Jano de alguma forma. Agora, David precisa correr contra o tempo para recuperar suas memórias e o contato com o informante antes que ele próprio se torne a próxima vítima.

  Na verdade eu escolhi esse livro porque adoro esse negócio de investigação policial (me sinto Sherlock Holmes hahaha) e, na época, estava pensando de no futuro entrar pra alguma organização tipo CIA e tals sonhadora modo on. Além disso a sinopse chamava bastante atenção.

  Bem, para começar, algo que achei muito legal é a mudança de perspectiva entre os personagens. Mesmo Sarac sendo o protagonista e o que mais aparece, durante a narrativa podemos ver os acontecimentos pelo ponto de vista de outros, como do ministro da justiça da sinopse, por exemplo. No fim, todos os acontecimentos e a história de todos eles se entrelaça e monta um quebra-cabeças enorme.

  Como nosso protagonista não se lembra de nada devido ao derrame e ao acidente, é interessante o leitor "entender" como ele se sente, tanto emocional quanto fisicamente, durante a história e ir desvendando o mistério junto com ele, descobrindo as pistas e ligando os postos ao mesmo tempo.

  As descrições do autor são muito boas, bem elaboradas e sem exageros, o que torna o cenário mais real, e tudo é bem explicado conforme o mistério vai sendo revelado, tudo isso impedindo a leitura de se tornar maçante. A todo momento tem alguma coisa, mesmo que mínima, pra deixar tanto o protagonista quanto o leitor alerta.

  Algo que também gostei foi que aparecem as marcas de alguns produtos. Pode ser marketing, pode, é claro que pode, mas mesmo assim torna a história mais imaginável ainda, assim também como os palavrões (vocês já sabem que adoro eles, né non? hahaha), já que é praticamente impossível um criminoso (sinopse) ser elegante o tempo todo e não soltar um sequer.

 

  Há momentos em que há coisas criptografadas e, pasmem, aprendemos a técnica e como descriptografar, já que, como disse, vamos desvendando e também aprendendo coisas com o David e ele é policial, já manja das paradas hahaha. Adoro essa parte gentemmm <3

  Temos também trechos de música em inglês sem tradução, e o interessante é como eles não simplesmente estavam ali, mas tinham um significado e se encaixavam na história toda. O único problema pode ser que pessoas que não saibam a língua tenham que procurar a tradução, mas pra quem "manja ta de boa".

  Bom, até mais ou menos umas 100 páginas antes de acabar o livro estava tudo muito bem, tudo muito bom, mas ainda tinha uma boa parte do mistério para ser solucionada, e senti que meio que ficou enrolando e a solução que é bom, nada. Teve umas reviravoltas legais e tudo mais, mas o desfecho do mistério ficou meio superficial, jogado. Acredito que deveria ter usado mais páginas para fazer isso. O final me decepcionou um pouco, quem era o Jano e tals, mas o resto foi ótimo.

  Como é um livro grande e muitas coisas acontecem, ainda mais sob diferentes pontos de vista, mesmo não tendo tantos personagens como GOT (porque aí né hahaha), o leitor tem que prestar atenção para, mais para frente, quando um personagem for retomado, lembrar em qual parte ele se encaixa pra história fazer sentido. Caso contrário pode ficar meio perdido.

  Pra finalizar, esse é o primeiro livro de uma série. Nas últimas páginas o mistério todo foi solucionado (ainda que não de forma toootalmente satisfatória) e a única coisa que faltou foi o destino de alguns personagens. Creio que, se o autor tivesse acrescentado isso, esse seria um ótimo romance policial ÚNICO,  já que não imagino nenhum outro gancho pra uma continuação. Veremos quando sair, não é mesmo?


Pra mais informações sobre o livro, acesse sua página no Skoob.

  E aí, quem gosta de romances policiais? Leriam esse? Quais me recomendariam?

  Então por hoje é isso leitores. Até a próxima <3

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Dê sua opinião sobre o assunto discutido acima :D

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Copyright © 2015 | Design e Código: Natana Duarte - Colecionando Livros | Uso pessoal