4 de novembro de 2015

Verbos VER e VIR: cuidado para não confundi-los


  É muito comum vermos certas confusões ocorrerem com o uso dos verbos “ver” e “vir”, pois ambos, em determinado momento de suas conjugações, apresentam a forma “vir”. Veja:


Você vai vir aqui em casa? - verbo VIR no infinitivo pessoal 

Se você vir o João, diga-lhe que fiz o que me pediu. - verbo VER no futuro do subjuntivo

  As confusões não param por aí, conforme veremos mais adiante. Vamos analisar caso a caso para que possamos entender o que leva as pessoas a cometerem tais equívocos. 


*Confusões que ocorrem com o verbo vir

  Na sentença “Você vai vir aqui em casa?”, a confusão que mais ocorre entre os falantes brasileiros é a troca da forma “ vir” por “vim”: Você vai “vim” aqui em casa? Ora, a forma “vim” do verbo ''vir'' só pode representar passado, uma vez que “vim” é a conjugação dada pela primeira pessoa do singular (eu) no tempo pretérito perfeito, ou seja, passado. Como é que eu posso perguntar algo no presente com verbo no passado? Use a forma “vim” (passado) somente nas sentenças que apresentem uma ação que foi iniciada e concluída antes do momento em que se está falando: Eu vim aqui ontem. (Passado, uma vez que a pessoa do discurso já veio. No momento da fala ela já havia concluído a ação de vir aqui). Para desfazer confusões nestes casos, vejam as comparações nos exemplos: 


Correto: Eu não vou vir aqui nunca mais! 
Errado: Eu não vou “vim” aqui nunca mais! 

Correto: Marcela disse que não vai vir em seu casamento.
Errado: Marcela disse que não vai “vim” em seu casamento. 

*Confusões que ocorrem com o verbo ver

  Conforme já dito, os verbos ''ver'' e ''vir'' apresentam a mesma forma em algum momento de suas conjugações verbais, ou seja, a forma ''vir". As confusões geralmente ocorrem num tempo verbal chamado futuro do subjuntivo. Vamos analisar dois exemplos, um de forma correta e outro de forma equivocada (confusão): 


Correto: Se você vir o João, diga-lhe que fiz o que me pediu. 
Errado: Se você “ver” o João, diga-lhe que fiz o que me pediu. 

  As pessoas que trocam ''vir'' por ''ver'' geralmente justificam a confusão dizendo que a maneira correta soa de forma estranha, pois lembra o verbo ''vir''. De certa forma elas têm razão, pois a forma é a mesma, mas não o sentido. Para desfazermos de vez a confusão, vamos ver como ficam as conjugações dos verbos citados no futuro do subjuntivo. Lembrando que, nesse tempo verbal, as frases são iniciadas pelas conjunções “ Quando” e “Se”. 

  Começando pelo verbo "ver": ver Quando / se eu vir Quando / se tu vires Quando / se ele vir Quando / se nós virmos Quando / se vós virdes Quando / se eles virem 

  Agora, analisemos como fica o verbo "vir" conjugado de maneira completa neste mesmo tempo verbal: vir Quando / se eu vier Quando / se tu vieres Quando / se ele vier Quando / se nós viermos Quando / se vós vierdes Quando / se eles vierem 

  Agora que vimos as flexões de ambos os verbos, podemos entender que a confusão não deve existir, uma vez que o verbo ver, na primeira pessoa deste tempo verbal vira “vir”, e o verbo vir, também conjugado na primeira pessoa do singular, vira “vier”. 


Quando eu vir Joana, vou pedi-la em casamento. (Verbo VER) 
Quando Joana vier aqui novamente, vou pedi-la em casamento. (Verbo VIR) 

Se ele vir você assim, vai sofrer muito. (Verbo VER) 
 Quando ele vier aqui, não vai gostar de ter ver assim. (Verbo VIR) 

  Percebam que, conhecendo as causas dos equívocos, torna-se extremamente possível evitá-los. 
________________________________________________________________________
Pedro Agora é professor de língua portuguesa, língua inglesa e literatura. Atua nos ciclos Fundamental II e Ensino Médio.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Dê sua opinião sobre o assunto discutido acima :D

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Copyright © 2015 | Design e Código: Natana Duarte - Colecionando Livros | Uso pessoal