24 de janeiro de 2015

Uma conversa sobre fãs

 

  Hoje eu quero falar sobre algo diferente aqui: a minha experiência com fandoms e uma reflexão sobre esse assunto. Acredito que você sabe o que é um fandom, mas só para garantir, com minhas palavras eu definiria isso como uma espécie de família que reúne os fãs de uma saga, série, cantor, banda, ou qualquer coisa. É como o grupo de fãs de Harry Potter, sabe?

  Mas por que falar disso agora? É que com a recente leitura de Fangirl (resenha), eu refleti sobre algumas coisas em relação a ser fã de algo. Cheguei a conclusão de que todos nós temos alguma coisa que realmente amamos e, caso contrário, sinto que a vida pareceria incompleta. Não estou exagerando, só acho que ser fã é uma experiência tão recompensadora que me soa absurdo não passar por isso. Porém, não me refiro apenas a participar de um fandom oficialmente, mas a realmente amar algo, mesmo que o objeto de admiração não seja exatamente um objeto, mas talvez uma atividade, como fotografar, surfar, jogar futebol (ou acompanhar campeonatos esportivos, sei lá). Basicamente, amar algo e tornar esta paixão parte da sua vida é uma coisa que eu considero essencial para uma pessoa.
  Voltando a considerar os fandoms em si e a minha experiência com eles, eu gostaria de falar sobre o grau de envolvimento que eu tenho com essas coisas que amo. Há um tempo eu estava conversando com a Aline – dona desse blog – e ela me falou que eu levo as histórias a sério demais. Isso porque, se não me falha a memória, eu estava contando para ela que fiquei confusa por uma afirmação de um professor meu. Ele disse que achava inadmissível que constasse na Wikipedia que entre os eventos importantes de um certo ano estivesse a fundação de Hogwarts – o ano me parecia ser 1492. Só que eu me peguei refletindo sobre a idade que sabia que Hogwarts tinha, e essa data não fazia sentido, afinal, Hogwarts tem mais de mil anos. Eu já estava pronta para contestar o professor quando me dei conta de que não adiantaria em nada fazer isso. Hogwarts, infelizmente, nem existe no mundo real. Eu acabo acreditando tanto na ficção que, por vezes, me esqueço de que é apenas ficção.
  Este é apenas um dos casos que eu posso citar em que eu ponho à prova minha noção da realidade e fantasia. Mas será que vale a pena se envolver tanto com uma história? Esta ideia me veio à mente ao assistir um episódio de The Big Bang Theory. Nesse episódio, há a morte de um personagem já conhecido pelos fãs do programa por aparições anteriores – o Professor Proton. Em certo momento, o Sheldon tem um delírio/sonho de que está conversando com o professor, e este lhe pergunta se vale a pena gastar o pouco tempo que temos na Terra para assistir a programas de TV e ser fã deles (não é bem assim o que ele fala, mas a mensagem transmitida é essa). Isso me causou um grande incômodo, porque até então eu sempre achei que ser fã é um privilégio e, de forma alguma, um desperdício de tempo.
  Até agora eu ainda me questiono sobre isso. Viver através de personagens não é mesmo a melhor forma de agir e acaba sendo uma maneira de nos escondermos do mundo. Porém, eu não consigo me imaginar sem ser fangirl. Enfim, esta é uma pergunta que não quer calar em minha mente e talvez ela me atormente por muito tempo ainda. Eu só sei de uma coisa: eu não pretendo deixar de amar meus ídolos, até porque qualquer malefício que esse amor pode ter causado foi superado em muito pelas alegrias que me trouxe.
  Enfim, acho que ser fã é uma forma de lidarmos com o mundo tenso que nos cerca. Para aliviar nossas expectativas sobre a realidade, as transferimos para a coisa idolatrada, e isso nos ajuda a seguir em frente. Então, se você gosta verdadeiramente de uma coisa, não se deixe desanimar, continue amando isso, mas não se esqueça que você também deve viver!


  Eu acabei nem falando muito de quais fandoms eu pertenço – ou me considero dentro. Em primeiro lugar, sem dúvida, está Harry Potter, que me abriu portas para os outros fandoms. Também não posso deixar de citar Sherlock Holmes, que é meu maior xodó atual. Porém, eu gosto de muitas outras coisas, só não acho que conheço informação suficiente da obra para me autodenominar fã, e também não acho legal ser uma fã poser. Portanto, de coisas como O Senhor dos Anéis, Doctor Who e The Walking Dead eu apenas digo que gosto muito.

  E vocês, o que acham da relação entre fãs e seus ídolos? Participam de algum fandom? Se sim, qual? Se não, tem alguma outra coisa que realmente ame? Eu adoraria ler as opiniões de vocês, e acredito que todos nós temos algo a falar sobre esse assunto.
  E se você definitivamente não gosta de nada, de nenhum livro, de nenhuma atividade, de nada nadinha, ti deixo minhas condolências, pois você não sabe o que está perdendo!

#ahbemsério, por SHE

57 comentários:

  1. Eu costumava assistir a muitas séries inclusive essa The Big Bang Theory, eu fiquei chateada quando assisti a esse episodio também! :/
    http://ancorandoomundo.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É um episódio bem triste mesmo, né?

      Excluir
  2. Olá, Cris!

    Fique tranquila! Esse não é um questionamento só seu - conheço várias pessoas que refletem sobre isso o tempo todo - inclusive eu, haha. Como já te disse antes, sou uma shipper ferrenha de Johnlock, nunca tive algo do gênero por outros personagens e acho que nunca terei... Mas isso já chegou a me atrapalhar muito. Sério. Na minha cabeça, ninguém nunca amaria o John como o Sherlock e vice-versa. Imagine, então, a situação do meu namorado nesses momentos, haha! Mas acho que aprendi a separar melhor o que é ficção de realidade, embora seja uma linha bem tênue. Mesmo que não seja um fandom como conhecemos - com tumblr, ships e etc -, acho que toda forma de paixão é válida, mas o nome já diz tudo: sofrimento. Tem de ser uma chama controlada! É só fornecer mais combustível e oxigênio que o recomendado e pronto - um incêndio!

    Meus fandoms são Sherlock (dã, rs), Orgulho e Preconceito, Hora de Aventura, Mochileiro das Galáxias. Sekaiichi Hatsukoi, Orenchi no Furo Jijou, Hobbit, OSDA e outros até, rs! Fandom é o que não falta. <3

    Muito obrigada pelo excelente texto!!

    Ana.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você fez uma ótima analogia com essa questão da chama, e sempre gosto de saber a sua opinião. Fico super feliz que tenha gostado, e eu que agradeço pelo elogio!

      Excluir
  3. Eu sempre li bastante, no entanto quando tinha 16 anos os livros tomaram um espaço e importância maior em minha vida.
    Logo que esse meu "vício" começou, era comum eu ficar no mundo da lua, me perguntando quando eu iria me tornar uma vampira, quando eu ia encontrar um anjo caído como o de Sussurro. Parece louco, eu sei, mas gostava de fugir, literalmente, da realidade.

    Eu juro que até tentava falar e ter os trejeito de algum personagem (isso é ridículo, eu sei).

    Só que eu estava esquecendo de viver, sabe? Perdendo personalidade. Então, eu acabei me tornando uma fã menos "exagerada".
    Amei o seu texto, Cris ^^

    Beijos!
    Karina do blogEu e Minha Cultura

    ResponderExcluir
  4. Oi li seu seu texto e pude aprender um pouco mais contigo, obrgado. Volto mais vzs aqui ta

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fico super feliz por ter acrescentado algo a você. Seja bem vindo e volte quando quiser :)

      Excluir
  5. Olá!

    Gostei do seu texto! Passei por uma reflexão parecida, mas foi na igreja rs Vivemos em um mundo cruel e os famdoms são uma ótima válvula de escape. Não sigo nenhum famdom, mas tenho vários ídolos na música, no esporte, na dramaturgia...
    *seguindo*

    resenhaeoutrascoisas.blogspot.com

    instagram @blogresenha

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Os fandoms são mesmo uma baita válvula de escape e que nos ajudar a prosseguir. Fico feliz que tenha gostado do texto :)

      Excluir
  6. Primeiramente, adorei seu texto! Parei um pouco pra refletir sobre o assunto depois que li, mas continuo com a mesma opinião que tinha antes... Acho que ser fã de algo não necessariamente nos tira tempo, muito pelo contrário! Quando se é fã, seja do que for, as coisas são feitas por prazer! Vou usar um exemplo que acontece comigo: Sou muito fã do Stephen King, a maioria dos seus livros me interessam e sempre procuro ter algum ao lado da cama pra ler antes de dormir... Além disso, estou sempre procurando novidades e curiosidades sobre o autor, mas seria isso perda de tempo? Não. O que te faz feliz NUNCA é perda de tempo, não importa o que seja! Por isso acredito que minha opinião sobre o assunto nunca irá mudar... Acho que cada um precisa fazer o que lhe faz feliz, e ser fã já significa de cara que você admira algo e, consequentemente, fica feliz por "participar" do assunto, seja ouvindo música, lendo, assistindo filmes, praticando esportes ou qualquer outra coisa. :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito bem colocado,Ursulla. Fico feliz que tenha gostado do texto e dividido a tua opinião :)

      Excluir
  7. Olá, Cris! Achei muito válido o seu questionamento. Parabéns pelo post :) Assim como você, acho que ser fã é realmente algo incrível. É algo que faz parte de nossas vidas, nos ajuda nos momentos difíceis e tem grande parcela de 'culpa' nos momentos de alegria. Não é algo que deve ser desmerecido. Entretanto, também acho que deve ter certos limites. Não dá para colocar isso como primeiro lugar em nossas vidas. Temos que prestar atenção e dar valor às outras coisas que também importam. Além disso, vejo que muitas pessoas colocam os ídolos em um pedestal, o que, para mim, não é nada positivo, já que devemos reconhecer que nada é perfeito e respeitar a opinião das outras pessoas. Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, apesar de eu amar meus ídolos, reconheço que eles têm seus defeitos, e devemos aprender a analisar isso. Não quer dizer que se determinada pessoa é bom ator ela também tem valores inquestionáveis. Fico feliz que tenha gostado do post e dividido a tua opinião :)

      Excluir
  8. Oi, eu amo Doctor Who e Sherlock, e muitas outras, sou viciada em séries e filmes e livros. Bjos

    http://www.leitorinas.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  9. Oi, Cris! Saudade de ler postagens suas, e essa ficou sensacional! Com certeza, uma discussão muito válida! Nem preciso dizer o por quê, né? Pra começo de conversa, me descobri escritora justamente por causa do fandom de Harry Potter, por me encorajar a escrever fanfics. Hoje, sou fangirl de um monte de personagens, seriados, atores e cantores (também vale, né?). Realmente, eu não saberia dizer o que seria da minha vida sem toda essa gente! É bem isso que você disse sobre esquecermos um pouco da nossa realidade! É uma espécie de escape e é incrível o quanto isso faz bem para a nossa sanidade, né? Apesar de muitos dizerem que vivemos através de coisas/pessoas que não existem (agora falando de fandons de livros/seriados), é muito gratificante saber que não estamos sozinhas. Na época de Harry Potter, eu era do tipo fã-louca mesmo, só sabia falar da história. Na verdade, até hoje é meio assim. Se eu gosto de um certo seriado, eu só consigo falar dele. Semestre passado, eu comecei a ler As Brumas de Avalon e só sabia conversar/comentar sobre isso, até eu comecei a me achar chata! (Sem falar todo o negócio de O Apanhador no Campo de Centeio, que já me deixou famosa haha). Enfim, AMEI esse post, poderia fazer uma Bíblia sobre o assunto UHAUASHASUSH.

    Love, Nina.
    http://ninaeuma.blogspot.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Receber um elogio de você é uma honra pra mim, Nina. Quando gosto de alguma coisa também não consigo parar de falar disso, mas tenho tentado me controlar para não parecer mais chata do que já sou hehe
      Uma Bíblia sobre Fangirls não é má ideia, hein! hehe

      Excluir
  10. Gostei muito do seu texto! Eu sou Twilighter a uns 5 anos e já passei por isso de misturar a realidade com a ficção. (E ainda sou do tipo que defendo a Saga com unhas e dentes rs) Vida de fã né.

    http://blogquerida.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho muito válido defender o nosso fandom, parabéns por sua atitude! hehe

      Excluir
  11. Oie, Cris!

    Sabe, eu fico meio incerta quanto a fandoms. Enquanto uns acabam por "manchar" a imagem desses grupos, outros são maravilhosos. Não sei se participo de algum. Considero-me fã de coração de muitos livros e algumas séries, como Game of Thrones e a saga As Crônicas de Gelo e Fogo em si. No entanto acho que seria muito dizer que faço parte do fandom destes.
    Mas talvez eu seja, não sei. Sou como você: às vezes esqueço que a ficção que amo é apenas ficção. Eu estava quase tendo o seu mesmo pensamento em relação à fundação de Hogwarts até que você falou que a escola sequer é real - e, opa, espera aí, nesse exato segundo eu havia esquecido disso! É complicado.
    Tem post novo aguardando por você no Me Livrando!

    Com carinho,
    Celly.

    http://melivrandoblog.blogspot.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É como eu disse no final, tem coisas que eu amo muito, mas não me sinto digna de me considerar do fandom, e Game of Thrones é uma dela, pois eu apenas vi a série, mas amei muito. porém como ainda não li os livros, não tenho muito conhecimento sobre a coisa toda.

      Excluir
  12. Oi Cris!
    Concordo plenamente com você. O que seria do mundo se as pessoas não tivessem algo a que se apegar, mesmo que esse algo seja imaterial. Acredito na abordagem com a qual nos identificamos com esse personagem ficiticio, de forma, que mesmo que muito profundamente, queremos ser ele, queremos aprender com ele ou torná-lo estritamente nosso. Não sou de muitos fandons sabe. Gosto de The Vampire Diaries bastante, mas nunca debati muito sobre a série. Tenho amigas que são do grupo delena, enquanto eu fico nos dos Stelena. Pessoalmente respeito a opinião de todos, afinal, cada um tem sua própria visão. Acho chato quando um fandon começa a criticar outro, como era o caso de HP a Percy Jackson a algum tempo atrás. Hj parece estarem mais unidos. Apesar de ser um coisa um tanto adolescente, sempre busco pessoas para comentar minhas expectativas em cima de algo que goste, pq nada melhor do que conversar com alguém que entenda o que você senti.

    Abraços
    David Andrade
    http://www.olimpicoliterario.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fiquei super feliz com seu comentário! Essas rixas entre fandoms são mesmo de matar, e as pessoas deveriam aprender a lidar melhor com isso.

      Excluir
  13. Oii tudo bom?
    Concordo com o que disse em relação a ser fã, é algo muito gratificante, acho que a vida seria muito monótona se não fosse fã de alguma coisa kkk
    Mas eu acho que é algo que se deve tomar cuidado, muitas vezes as pessoas acabam por idolatrar e seguir uma ideologia não muito bacana, o que pode ser prejudicial. Ser fã é bom, mas é preciso saber ser fã kkkkkk
    Sou fã de muitas coisas tambem, mas não chego a ser um fanático ^^
    Um abraço
    Oficina do Leitor / Facebook

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Claro que é importante ser fã, mas com consciência do que você gosta. Por exemplo, desaprovar atitudes dos ídolos não significa que você não gosta mais dele, mas você sabe que ele não fez algo legal e admite isso.

      Excluir
  14. Olá,
    Eu juro que não consigo ser fã de nada, posso até gostar ou admirar algo, mas fã é uma coisa que eu não sou, de nada mesmo. Não quero desmerecer quem é fã nem nada, mas simplesmente não consigo adorar tanto algo, rsrs. Mas acho bacana quem tem fandons, o modo que as pessoas que participam deles são quase uma família e etc...
    Beijos.
    Memórias de Leitura - memorias-de-leitura.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu acho que os fandoms são mesmo uma família; talvez você só não seja uma fã de verdade porque ainda não encontrou a coisa certa.

      Excluir
  15. Oii, tudo bem?
    Eu acredito que tudo tenha um limite entre o saudável e o exagero...porque a partir do momento em que a pessoa fica extremamente obcecada por qualquer coisa, deixa de ser saudável.
    Eu sou fã de muitas bandas, séries, livros, mas nada exagerado. fico inconformada por exemplo com essa guerra de fãs de determinadas sagas/séries, eles brigam, se ofendem, mas poxa vida, o que é bom pra mim não precisa necessariamente ser bom para outras pessoas, mas sei lá, é muita coisa para se pensar...
    Bjs

    http://a-libri.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom, eu me referi que ser fã é ótimo pelos benefícios que isso nos traz, mas sei que há coisas ruins nisso. Porém, se você ofende algum outro fandom, isso não é uma atitude só relacionada ao "ser fã é ruim e ti degenera". Talvez a própria pessoa tenha conceitos errados de como agir, e acaba que os fandoms são uma oportunidade para ela mostrar isso, porém a culpa não é do "Fandom em si", entende?

      Excluir
  16. Cris, ser fã é maravilhoso! Algumas vezes, não há nada mais gratificante do que ver algum ator, atriz ou a série em si ganhando prêmios, ajudando as pessoas (como a Emma fez no HeForShe), se preocupando com os fãs ou assistindo aqueles discursos não tão longos e belos sobre a vida deles e o quanto são gratos a nós. Sou potterhead desde criança, pelo menos uns 10 anos ai, meu pai sempre assistia comigo e me levava pro cinema, até o dia que decidi ler os livros por conta própria. Nunca me arrependi, você disse tudo que eu sinto!
    Beijão.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fico muito feliz de ter colocado pra fora esses sentimentos e de que você tenha se identificado com eles, Luna! Sei que você é uma grande fã e que isso nos deixa muito felizes e nos permite conhecer pessoas muito legais, como eu, que conheci você <3

      Excluir
  17. Eu realmente não entendo as pessoas que não gosta muito de nada, é tão bom gostar de uma coisa, dedicar-se a ela, eu já fui fã de bandas, músicas, e agora sou apenas dos livros, tenho uma autora em especial, que mora no meu coração que é a Anne Rice, não sou mais como eu era quando adolescente, mais ainda sim me apaixono pelas coisas, continuo amando minha banda favorita, mesmo que a maioria dos membros já estejam mortos, Ramones marcou minha adolescência e quando eu vi um show ao vivo do Marky Ramone eu vi que valia a pena tudo aquilo.

    Adorei seu post e seu blog já estou seguindo seu blog, vou passar sempre por aqui! :-d

    Se quiser conhecer o meu blog também, só dar uma passadinha no
    Estandy Books - A Estante da Andy

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pessoas que não gostam de nada são doidas, né? Fico super feliz por você ter compartilhado um pouco da sua experiência aqui e com certeza irei visitar teu blog :)

      Excluir
  18. Oi Cris.
    Realmente eu amo muitas séries e livros e filmes, então acho que posso me considerar uma Fangirl, mas nunca tinha parado para pensar muito nisso. Adorei o post.

    Beijos
    Carolina
    http://aventurandosenoslivros.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ser fã é incrível, que bom que você tem algo que ama. Antigamente eu também nem sabia direito o que era "fangirl", mas quando passei a curtir mais páginas das coisas que gosto, me envolvi demais e conheci esses termos hehe

      Excluir
  19. Gosto de séries, mais ando sem tempo para colocar em dia. Minhas preferidas são Supernatural, American Horror Story e Game of Thrones, amo.

    Beijinhos queridas e uma ótima semana.
    Seguindo aqui.
    http://cabinedeleitura1.blogspot.com.br/2015/01/resenha-fake.html

    ResponderExcluir
  20. Eu só sei de uma coisa: VI IRENE ADLER NO SEU POST heuheue Cara, eu participo de tanto fandom que nem dá pra contar. Principalmente séries. Eu sou a louca. Quando gosto de algo, gosto pra valer... pesquiso, brigo, amo.
    www.belapsicose.com

    ResponderExcluir
  21. Oii
    Então, acho que tudo tem um limite. Eu amo ler e quando estou lendo eu sofro, choro, dou risada e sinto praticamente todas as emoções que os personagens sentem (se o escritor for bom).
    Acho isso bem normal, escapar alguns minutos da realidade e entrar de cabeça nesses mundos.
    Mas é claro que não se pode viver assim cem por cento do nosso tempo. Separar o mundo da fantasia do mundo real é mais do que necessário.
    A grande sacada, na verdade, é faz a vida real ser tão prazerosa e emocionante quanto a ficção.
    Por isso sou daquelas que não faz nada que não goste, não sigo uma profissão na qual não estou satisfeita e nem um relacionamento...
    Eu sei que às vezes os livros e os filmes parecem ser bem melhores do que a nossa vida. Mas é nossa responsabilidade fazer com que nossa vida seja igualmente ou melhor do que as histórias.

    Espero que eu tenha ajudado..

    Beijos

    O Outro Lado da Raposa

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom, eu não me refiro a viver na ficção o tempo todo, mas sim, trazer tantas referências dela para a realidade e achar estranho que ela seja só invenção.
      Também acho essencial tornar nossa vida tão boa quanto os livros :)

      Excluir
  22. Oi, Cris!
    Bastante reflexivo o seu post, hein?
    Sabe, realmente nos transportamos e viajamos com os livros, seus gêneros e seus personagens.
    Até aí, tudo bem!
    No entanto, temos que saber encontrar e reconhecer um limite.
    E acho que foi bem isso que começou a acontecer com você: a descoberta do equilíbrio entre a fantasia e a realidade.
    Congratulations, girl!

    Boa semana!
    http://fabi-expressoes.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, encontrar esse equilíbrio é, talvez, o auge de um fã.

      Excluir
  23. Gostei de verdade do seu post e uma reflexão profunda!
    Na minha opinião temos que manter o equilíbrio sempre... Que os livros nos oferece uma nova realidade isso é um fato um inegável e sim podemos embarcar nessa viagem mas uma hora vamos voltar á realidade a "nossa realidade" e ela pode não se tão boa!

    E concordo com você que devemos ter paixões na vida! Uma frase que li ontem é "Nunca desistir dos sonhos, eles movem a vida".

    Beijos,
    Ludy
    http://meuparadoxoliterario.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, assim como nossas paixões, os sonhos também são necessários pra gente não desanimar e conseguir se mover mesmo. :)

      Excluir
  24. Eu ainda não me incluo nesta categoria, embora assista muitas séries que adoro, mas não consigo me ver como fã absoluta. Não sou fissurada. Bem que eu gostaria de ser, acho bem bacana, mas não consigo.

    cafeecomletras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É que talvez você ainda não tenha encontrado "A Série" ou "A Paixão".

      Excluir
  25. Sou fã de varias coisas. Livros, filmes, series, desenhos. Nunca parei pra pensar muito nessa coisa de fan don.O máximo que já fiz foi num fã clube de Guns n Roses. Dia de aniversario dos integrantes, la estava eu no twitter, ajudando a subir as tags kkkk
    Gostei do post, parabéns pela matéria

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sabe que eu também já tive um fã clube e ajudei a subir essas tags no twitter? hehe
      Acho que terei de fazer mais um post falando dessas experiências.
      Fico muito feliz que tenha gostado do post.

      Excluir
  26. Eu amo muitos personagens e histórias, mas a que mais leio e releio é sem dúvida Harry Potter, e olha que já tenho 25 anos, mas é uma paixão sem fim, porém não passo de uma amante de livros. Gosto de ler e leio todos os dias de tudo um pouco, não me considero uma fangirl porque realmente não me envolvo com nada além das histórias nos livros. Eu não estou em fandoms porque realmente não tenho tempo não porque não ache bacana...

    beijos
    Natana
    Colecionando Livros

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom, Harry Potter também é minha maior paixão, sem dúvida. E agora eu estou mais envolvida com fandoms porque estou de férias, mas sei que quando começar a faculdade, daqui a um mês, irei ter que me afastar disso, e até do blog.

      Excluir
  27. Ótimo texto Cris!!
    Eu sou "fãzassa" de várias coisas, mas nunca me considerei de nenhum fandom. Algumas "séries" (de livros ou filmes) que amo de paixão são LOTR (toda a Terra Média de Tolkien), Harry Potter, Star Wars, Game of Thrones, Sherlock Holmes. Acho que esses, principalmente. Fora isso tenho amores que são hobbies, como fotografar.
    Acho importante termos essas "distrações", porque ninguém vive só de realidade. E se vive, com certeza é uma pessoa muito chata! hehehehe

    Samara - Infinitos Livros

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nossa, gostei muito dos teus fandoms, são praticamente os meus, na verdade, daí só falta Star Wars (que eu até vou começar a ver em breve).

      Excluir
  28. As postagens da Cris são as melhores (dscp mundo), mas, acho que tem razão, e eu também tenho essa dúvida, pois é tão bom assistir uma sério, ler um livro, já me peguei várias vezes me achando parte de uma ficção, mas isso faz bem, nos distrai do mundo, não é? Ótimo tema para discutir! Algum dia escrevo bem assim hahahaha
    http://letrasemvida.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Meu Deus, que querida que você é! Gostaria muito de ler um post teu sobre o assunto, faça mesmo!

      Excluir
  29. Oi, tudo bem?
    Mal entrei no seu post e já fiquei com os olhinhos brilhando, gente, Totoro é um dos meus personagens favoritos *o* kkkk Bom, eu nunca fiz parte de um fandom, mas entendo mais ou menos o que eles são e vi uma resenha de Fangirl falando sobre eles, mas ainda não li o livro. Eu acredito que viver através de personagens não é uma coisa bacana, mas amar eles não tem problema, é preciso saber o quanto podemos nos apronfundar e amar esses tais personagens, né? Enfim, achei o post muito interessante, nunca tinha lido um sobre esse tema e gostei bastante oo/
    Aaaah! Tem muita coisa que eu ame, ultimamente estou fissurada e apaixonada por Doramas, amo de paixão a cultura oriental, embora não a conheça muito bem, também amo livros (avá kkk) entre outras coisas o/

    Beijos :*
    Larissa - http://srtabookaholic.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que você gostou do post! Mas sabe que eu nem conheço Totoro? haha Eu peguei essa imagem em razão de alguns outros personagens que estão aí. De qualquer forma, foi uma coincidência legal :)

      Leitores Forever

      Excluir
  30. Eu sou uma pessoa tranquila quando o assunto é FÃ.
    Qualquer pessoa pode ser fã de outra pessoa ou de algo. Todas as pessoas tem ídolos. Sempre queremos ter algo de alguém. Eu sempre quis ter a coragem de quebrar regras como o Homem de Ferro e a esperança do Capitão América e da Mary Jane do Homem- Aranha.

    Eu era super fã....tinha tudo que era possível de High School Musical e Backstreet Boys. Amava tudo deles, mas era adolescente e nessa fase queremos encontrar uma "tribo" para pertencemos e geramos vínculos.

    O correto é analisamos se Admiração por determinada característica tornou-se uma Obsessão e isso gera perda de identidade e inferioridade. Eu nunca quis ser uma cantor, vampiro, feiticeiro e afins, mas queria ter determinadas qualidades que eles tem.

    Querer ir para Nárnia, Terra Média ou Westeros é normal...até Howgarts, mas isso é apenas fantasia.

    Sou apaixonada por Supernatural, Sherlock e tantas outras coisas, mas sei o que me faz ser apaixonada por eles. Identificar essa relação traz liberdade e não aprisionamento.

    Amei seu texto.

    poesiaqueencantavida.blogspot.com.br

    ResponderExcluir

Dê sua opinião sobre o assunto discutido acima :D

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Copyright © 2015 | Design e Código: Natana Duarte - Colecionando Livros | Uso pessoal