28 de dezembro de 2014

Resenha do Livro: O Prisioneiro do Céu


  O que falar de um livro do Zafón? Em primeiro lugar, a escrita dele continua impecável. Além disso, O Prisioneiro do Céu consegue explorar a história de um personagem fantástico que surgiu em A Sombra do Vento (resenha), Fermín Romero de Torres. Com isso, eu deixo claro que, apesar de esse livro ser considerado independente, a sua leitura é bem mais interessante – e compreensível – se feita depois de A Sombra do Vento, já que se passa após os acontecimentos desse livro – ou seja, haveria spoilers.

 Quando um estranho e misterioso sujeito vai a livraria dos Sempere, Daniel fica desconfiado e o segue. Acaba-se descobrindo que esse homem tem uma relação com o passado de Fermín, empregado da loja e melhor amigo de Daniel. Quando os dois amigos têm uma conversa, Fermín conta a história de sua vida antes de conhecer Daniel e de como se tornou um mendigo. Ele foi preso por algum tempo durante o repressivo período da Guerra Civil Espanhola; a prisão era o amedrontador castelo de Montjuic, de quem dizia-se que ninguém escapava. Lá ele conheceu um intrigante escritor, David Martín, conhecido como “prisioneiro do céu”. Martín acaba se revelando alguém importante, não só para Fermín, mas também para outros personagens do livro. Ele é tido como maluco, mas esconde muitos segredos em sua loucura.
  Pelo que eu percebi, O Jogo do Anjo, que é o próximo livro da trilogia de O Cemitério dos Livros Esquecidos, aprofunda-se na história de David Martín, da mesma forma como o livro anterior – A Sombra do Vento – foca na história de Daniel Sempere. Assim, O Prisioneiro do Céu é uma ligação entre os dois romances, não tendo uma história tão complexa. Mesmo assim a leitura é agradável, em especial quando se relata a fuga de Fermín da prisão, o que é uma das partes mais envolventes da obra.
  A estrutura do livro é muito boa para que a leitura flua rapidamente: capítulos bem curtos e divisão em partes principais. Também há muitas referências a livros clássicos, em especial O conde de Montecristo. Como em A Sombra do Vento, há vários quotes memoráveis. Eis o meu preferido:
Louco é quem se acha sensato e pensa que não tem nada a ver com a categoria dos tolos.
  O período em que se passa o livro é mais ou menos o mesmo de agora (fim e início de ano), então temos algumas referências ao Natal – o pai de Daniel resolve fazer uma decoração natalina na livraria. Entre essas e outras coisas, Zafón nos proporciona mais um mergulho em um livro sobre livros, o que é um prazer para nós, leitores.
  Hoje a resenha não é tão longa pois eu tenho vários outros posts para escrever e, além de tudo, o livro também é curtinho, com menos de 250 páginas. Espero que todos tenham um ótimo 2015 e garanto que se você incluir algum livro de Zafón em suas leituras do ano não irá se arrepender. Beijos xx

#ahbemsério, por SHE

9 comentários:

  1. Parabéns pela resenha. Legal é que você não só discorre sobre o livro, mas também instiga o leitor a querer ler a obra.

    ResponderExcluir
  2. A capa desse livro é lindíssima, ainda não conhecia esse autor mas gostei da sinopse e da resenha ,fiquei curiosa para ler principalmente por que faz referencia a um dos livros clássicos da literatura universal que eu gosto muito que é o Conde de Montecristo.
    Bjs.
    Mary C.S.Pires
    Blog:http://leiturasdamary.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que gostou e passou a conhecer Zafón :)

      Excluir
  3. Olá, Cris!

    Tenho dois livros do Zafón (e um deles está na minha lista de leitura), O Jogo do Anjo e a Sombra do Vento, mas ainda não li!

    Dizem que a escrita dele é bem diferenciada, né? Eu gosto de mudar de autores de vez em quando, senão fica tudo mais do mesmo! haha

    Olha, se tem um tema que me fascina é Guerra Civil Espanhola, não sei por quê... Toda a história do Franquismo, as torturas, os embates! Será que dá para conectar este livro a Guernica?

    Sua resenha está boa, bem descritiva, mostrando os pontos positivos e negativos do enredo, mas senti falta de saber como é a edição que você tem em mãos! Para mim, essa é uma parte importante! :D

    Um grande abraço,

    Ana Carolina Nonato
    Blog Seis Milênios
    http://seismilenios.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O livro se relaciona bastante com a Guerra mesmo, até alguns personagens são torturadores.
      Sobre a edição, eu não tenho uma câmera boa para tirar fotos, então em geral não faço isso. Mas na resenha de A Sombra do Vento eu falei mais sobre isso. De qualquer forma, obrigada pela dica, vou tentar melhorar nas próximas :)

      Excluir
  4. Depois de ler a sua resenha do livro "O Prisioneiro do Céu", já memorizei o nome do autor, planejo comprar suas obras e adicioná-las à minha meta de leitura de 2015.
    Nossa, ainda bem que eu li sua resenha, pois agora sei por qual devo começar lendo. Acho bem chato quando um livro é dito "independente", ou seja, não participa de nenhuma série ou trilogia, mas no final os livros possuem uma ligação, o que faz com que uma pessoa desinformada leia muitos spoilers que não quer ler.
    Beijos e tchau!
    http://eueminhacultura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. O nome do livro e a capa já me chamaram a atenção! Gostei bastante da resenha, e como esse ano pretendo conhecer livros novos, esse seria um bom começo :D
    Beijos,
    Nossa! Mulan sempre fez parte da minha infancia, não sabia que existia esse filme, versão "gente" hahah. Ainda não vi A esperança pt. 1, por falta de tempo :( Mas quem sabe vejo logo!

    Beijos,

    http://myliteraryparadise.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Oii, tudo bem?
    Nunca li nada do autor, mas sua resenha me deixou bem curiosa a respeito das obras dele!
    Bjs

    http://a-libri.blogspot.com.br

    ResponderExcluir

Dê sua opinião sobre o assunto discutido acima :D

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Copyright © 2015 | Design e Código: Natana Duarte - Colecionando Livros | Uso pessoal