16 de novembro de 2014

Resenha do Livro: O Diário de Anne Frank


  Este é mais um livro que leio por fins didáticos, assim como Breve História de Quase Tudo e Persépolis, que já têm resenha aqui no blog. Confesso que esperava mais do livro, que acabou sendo durante a maior parte divagações de uma adolescente confusa, carente e perturbada por ficar tanto tempo presa escondida dos nazistas.



  Anne é uma menina judia que, antes da ascensão de Hitler, vivia tranquilamente tendo tudo que desejava, desde bens materiais até amigos. Porém, quando começa a caça aos judeus, ela, seus pais e sua irmã precisam se esconder para não serem levados a um campo de concentração. A fuga da família é às pressas, visto que a situação para os judeus só piorava em 1942.
  Os Frank são levados por alemães “gente boa” a um esconderijo na Holanda, em um Anexo Secreto de um prédio. Esse pessoal continuou os ajudando por todo o período em que estiveram morando no Anexo. Lá também convivem com mais quatro pessoas: o casal Van Daan e seu filho Peter, além do Sr. Dussel. Inclusive, para quem já leu A Culpa é das Estrelas, quando Hazel e Augustus vão para a Holanda, eles visitam o Anexo Secreto.
A entrada para o Anexo Secreto era atrás de uma estante.
  O conteúdo das cartas trata de assuntos cotidianos. Um dos temas de destaque são as brigas entre o grupo. Por motivos fúteis ocorriam constantes desentendimentos, afinal, viver o tempo todo rodeado pelas mesmas pessoas é irritante e gera conflitos. Outro tema recorrente são as divagações de Anne sobre Peter, o filho dos Van Daan. Carente por atenção – Anne costumava dizer que nem seus pais nem a irmã a compreendiam –, ela se apega ao tímido garoto. Deve-se levar em consideração que, antes da Guerra, Anne tinha muitos amigos e pretendentes e agora está isolada do mundo e aflita por contato.
Mas e o que fazer enquanto trancafiados? Nesse trecho, Anne fala sobre os seus passatempos:
A maioria das pessoas simplesmente não conseguiria compreender o que os livros significam para nós, trancados aqui dentro. Ler, aprender e ouvir rádio são os nossos divertimentos.
  Outra coisa que ela fazia era analisar árvores genealógicas e estudar mitologia. Garanto que se ela vivesse hoje em dia iria adorar Percy Jackson.
  Em outros momentos, Anne se tornava mais triste e perdida no mundo. De certa forma, ela mudava constantemente de humor.
Cheguei ao ponto em que tanto faz viver ou morrer. O mundo continuará sem mim. O que tem de acontecer, acontece e, de qualquer forma, de nada adianta tentar resistir.
Confio na sorte e só faço trabalhar, esperando que tudo acabe bem.
  Como meu objetivo ao ler esse livro era tomar conhecimento de acontecimentos referentes à Segunda Guerra Mundial, minhas partes preferidas foram quando Anne falava sobre os acontecimentos da Guerra ou refletia sobre isso.
Quem nos infligiu isso? Quem nos fez, a nós judeus, diferentes dos outros povos? Quem permitiu que sofrêssemos tão terrivelmente, até hoje? Foi Deus que nos fez tal qual somos. Ele nos haverá de elevar outra vez.
  Sobre o final:
  Por vezes, confesso que Anne me irritou profundamente, porém, no final do livro, não consegui ficar indiferente. Me sinto triste pelo seu sofrimento e também pelo dos demais judeus que padeceram por causa dos ideais antissemitas dos nazistas. Terminei de ler o livro enquanto estava na escola e aquele momento foi chocante para mim. Sabe quando nos sentimos impotentes, mas gostaríamos muito, de verdade, de mudar tanto a história do livro quanto a História da humanidade? Pois é, não se pode alterar o passado. O que se pode e deve fazer é batalhar para que isso não se repita no futuro. Para isso, precisa-se agir no próprio presente!

  Pessoal, já leram esse livro? Deixem nos comentários sua impressão sobre O Diário de Anne Frank... Eu adoraria ler o que vocês pensam do livro.

#ahbemsério, por SHE

27 comentários:

  1. Aconteceu o mesmo comigo Cris. No começo eu pensei em abandonar o livro, porque parecia que ele não passava de um simples diário de uma garota com muitos problemas, mas o pessoal dizia que melhoraria. No meio começou a ficar mais interessante, e isso ajudou a me encaminhar para o final do livro, que quase me fez chorar com o posfácio. Não me arrependo de ter lido, foi uma experiência totalmente gratificante. Beijos :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que legal que você leu esse livro Aline, não sabia.
      Bem, eu acho que o alcance que esse livro tem é uma prova de que histórias estilo "não ficção", que muitas pessoas tem receio, são sim muito interessantes, emocionantes e valem a pena ser lidas.

      Excluir
  2. Olá Cris, como vai?
    Adorei sua resenha e sou loucaaaaaaaa de verdade para ler este livro. Realmente estou me roendo para ler este livro, na qual já assistir o filme, e que me cativou bastante. Na verdade o filme não me emocionei e senti falta de um gostinho a mais. Mas não vejo a hora de ler. Adoro conhecer histórias sobre que se passa em guerras, judeus, Alemanha principalmente para entender melhor hoje em dia. Parece ser emocionante principalmente por ser escrito pela Anne que passou isto tudo quando era uma simples garota. Espero que a leitura anseie a minha sede em lê-lo.
    Parabéns pelo blog e pela resenha.
    Muito obrigada pela visita no meu cantinho e volte sempre, foi uma honra te-la lá!
    Beijos e muito sucesso querida.
    http://chuvaelivros.blogspot.com/
    (c)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, estou bem sim :)
      Bem, eu não assisti ao filme e, na verdade, não estou muito animada para assistir. Assim, acho melhor nem ver mesmo porque se for ver desanimada acredito que eu não vá gostar muito.
      Leia o livro sim, não é muito longo e acho que é um livro perfeito para se levar na bolsa, é pequeno e os capítulos também não costumam ser longos.

      Excluir
  3. Oi, tudo bem? :)
    Eu tenho vontade de ler esse livro, uma menina da minha sala leu e disse que é muito bom, também sou apaixonada por História, então acho que adoraria essas partes sobre a Segunda Guerra Mundial.
    Beijos... Samantha Culceag (k)
    Só pra Menores

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Leia sim, e tem um outro livro que eu indico sobre a Segunda Guerra que é Maus. Esta é uma história em quadrinhos muito demais, demais demais demais. Adoro mesmo hehehe. Tem resenha aqui no blog: http://leitoresforever.blogspot.com.br/2014/08/resenha-da-hq-maus-historia-de-um.html
      Se você se interessar, me mande o seu email que eu posso ti mandar o livro em pdf.
      Beijos :)

      Excluir
  4. Pela pouca idade, Anne Frank foi uma guerreira, imaginar uma menina indefesa se escondendo da maior máquina genocida já criada, o terceiro reich. Imaginar o que ela passou ali, faria qualquer um enlouquecer. Ninguém sabe ao certo quem denunciou o esconderijo deles. Os nazistas perseguiram não só judeus, o ódio desenfreado animalesco atingiu ciganos, testemunhas de Jeová, anarquistas, entre outros inimigos políticos dos nazistas, qualquer um que discordasse dos nazistas. Para uma visão mais ampla, é que também envolve um diário, o livro chamado: Holocausto, de Gerald Green, traz a história de uma família de classe média dilacerada pelos nazistas, intercalada com a narração em primeira pessoa dos diários do oficial da SS, Erick Dorf. O livro gerou um seriado de sucesso nos anos 80. Esse livro, sem dúvida, foi um dos mais impressionantes que eu já li, ele nos lembra e alerta para que o mundo fique atento, que não esqueça os horrores do holocausto, que a mais trágica e horrenda história da humanidade, jamais volte a se repetir.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sinceramente, é inadmissível se conformar com o Holocausto e todas as atrucidades cometidas pelos homens. Acho muito importante também que existam livros de sucesso voltados ao tema, pois isso alerta as pessoas para o que realmente foi aquilo.
      E obrigada por indicar mais um livro sobre o assunto, me interesso muito por esse tipo de história.

      Excluir
  5. Oi Cris!
    Li esse livro por livre e espontânea vontade quando estava na 7ª série.
    Acredita que adorei?
    O comportamento da Anne é irritante sim, mas temos que concordar que é uma adolescente, que enfrenta muitos problemas além dos normais pra sua idade.

    Adorei a resenha,
    Beijos
    ​​​​​LiteraMúsicas

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada pelo comentário e eu entendo os motivos pro trás do lado irritante da Anne. Se nós mesmos somos detestáveis às vezes, o que se dirá de uma menina trancafiada por anos em meio a uma guerra.

      Excluir
  6. Comecei a ler o livro quando estava no Ensino Fundamental e acabei parando por achar muito maçante.
    Depois de ler a resenha e os comentários, acho que tenho que dar uma nova chance a ele hahaha beijo!

    2leitoras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Claro, dê uma chance ao livro sim.
      Também acho que quando vamos ler algo, deve ser por realmente estarmos querendo. Então talvez tenha sido bom você abandonar o livro daquela vez se não estava gostando, senão poderia ficar com uma impressão negativa sobre ele para sempre.

      Excluir
  7. Eu já comecei, mas nunca o terminei, mas sem dúvida tenho que voltar a pegar nele e le-lo todo :D
    Adorei a resenha!

    Adorei o seu blog e já estou a seguir :)

    beijos,
    Daniela
    http://ddocesonhadora.blogspot.pt/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Faça um esforço e leia sim. Nem é um livro tão longo e eu o acho perfeito para lervar na bolsa e ler em qualquer tempinho livre. Assim, logo logo você já vai ter terminado.
      :)

      Excluir
  8. Esse livro já li mais de três vezes e sempre me emociono com os relatos da vida da Anne.
    Excelente resenha!
    www.livreando.com.br

    ResponderExcluir
  9. Olá! Goste da resenha e claro ja estou seguindo o blog..

    ResponderExcluir
  10. Seria bom se vocês colocasse o numero da pagina quando fizessem uma citação.. :o

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu não coloquei a página porque há várias edições desse livro, então achei que não ficaria um padrão de qualquer forma. A edição que li também é bem velhinha.
      Mas obrigada pela sugestão mesmo assim.

      Excluir
  11. Oi, Cris.

    Vim aqui conferir a sua resenha, que está bem legal, parabéns :) Eu juro pra você que não sei como não li a história de Anne Frank ainda. Sou apaixonada por livros ambientados na 2ª Guerra Mundial e esse relato deve ser muito emocionante. Confesso que tenho altas expectativas para esse livro e espero não me decepcionar. Lendo a sua resenha agora, já sei um pouco mais do que esperar da história.

    Beijos,
    Camila

    http://www.secretfantasybooks.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fico feliz que tenha gostado. É um livro incrível, leia mesmo!

      Excluir
  12. Amei sua resenha, quero muito ler esse livro, é uma pena vc não ter gostado tanto, vou procurar ler ele logo e verei o que acho. Mas já vi muitas pessoas falando que esperava mais dele também.
    Seguindo seu blog, beijos *--*
    http://leit0res.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, os gostos variam. Leia logo, sim.

      Excluir
  13. Não é a primeira vez que leio com bastante atenção uma resenha do Diário de Anne Frank. Ficou muito boa! Pela sua resenha eu acabei criando em minha mente que é o tipo de livro em que a gente se emociona e que vale a pena ler com bastante atenção. :>)

    ResponderExcluir
  14. Oii, tudo bem?
    Sempre vejo críticas boas a respeito do livro, mas nunca tive curiosidade de ler, não faz meu estilo.
    Bjs

    http://a-libri.blogspot.com.br

    ResponderExcluir

Dê sua opinião sobre o assunto discutido acima :D

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Copyright © 2015 | Design e Código: Natana Duarte - Colecionando Livros | Uso pessoal